ÁRVORE GENEALÓGICA

                                                                                                                                                                       PÁGINA EM DESENVOLVIMENTO

Andrzey Halerz e Antonia Biernaski

Publicação e fotos de: Mafalda Ales Sikora
Família na Foto: Na porta  da casa, Andrzey Halerz e Antonia Biernaski - Imigrantes vindos da Polônia - 1885 - de Swiencany, na região da Galícia, na Polônia. Da direita em pé: João Halerz e Aghata Haiduk e sua filha Valéria; Miguel Halerz e Valéria  Valenga e Filho; Francisco Halerz e Marta Haiduk e o filho Vadislau Halerz; Segunda fileira da direita: Paulo Halerz e à frente sua filha Filomena; Ao lado Filhos de João Halerz e Aghata  Haiduk (Leonardo, Ana, Andre, Balbina e 2º e 3º à frente são, Luíz e Joana HalerzAs outras crianças são filhos dos demais irmãos 
História da Família - Andrzey Halerz e Antonia Biernaski
http://www.arquivohistoricojoinville.com.br/ListaImigrantes/lista/tudo.htm
Encontrado em - Lista  nº 78. Acesso em 17/12/2015. 
Emigraram da Polônia. No dia 19/05/1885 saíram da Polôna/ Europa pelo porto de Hamburgo e viajaram de Navio Alemão – Vapor Valparaíso, sob o comando do Capitão, J.G.Von Holten. Depois de viajar um mês, no dia 17/06/1885 chegaram em São Francisco, Santa Catarina. Acima Documentos de registro da família emigrante.  

   Introdução e História  

 

        A História da Família Halerz e Biernaski, começa se configurar com a efetivação da genealogia. Depois de incansáveis anos de pesquisa dedicado na busca de informações sobre a origem da Família de Andrzey Halerz e Antônia Biernaski, no dia 17/12/2015 fui contemplada com  os dados de sua origem.

         Ao pesquisar a Genealogia da família, encontra-se muitas descobertas de fatos interessantes, questões que são relacionadas com a História da Imigração e os acontecimentos na Polônia e no Brasil.

       Até então já havia construído parte da Arvore Genealógica da Família, com ajuda de depoimentos da família, porém com essa descoberta abriu-se  a possibilidade em dar continuidade para complementar os dados na sua estruturação.

       O meu interesse sobre a Genealogia da Família despertou desde 1976, depois das comemorações do Centenário da Imigração Polonesa na Colônia Dom Pedro II/Campo Largo/PR. Foi aprofundada a partir de 1997, pesquisando a história da imigração polonesa ao Brasil e ao Paraná, enriquecida pelos relatos dos descendentes de imigrantes da Colônia Dom Pedro II, por ocasião das Festas Culturais e da inauguração do Museu da Etnia Polonesa (2000), resultando em artigos, publicados em revistas. A pesquisa se realizava com base em diferentes publicações teóricas, Livros Tombo das Igrejas da Colônia Orleans (1870/1890) e da Colônia Dom Pedro II (1876/1900) e em outros muitos Órgãos Públicos daqui e de outros Estados. Porém  os resultados foram complementados em 2014, pelo Mestrado em Tecnologia do Desenvolvimento pela UTFPR, com a pesquisa sobre “As Políticas de imigração no Brasil nos séculos XIX e XX e o desenvolvimento de territórios: Estudo de Caso da Colônia Dom Pedro II - Campo Largo – Paraná”.

      Com essa pesquisa obteve-se um vasto conhecimento sobre a imigração polonesa no Brasil e no Paraná e abriu possibilidades de contatos com pesquisadores no Brasil e na Polônia e a troca de informações sobre a genealogia de famílias. De todo esse trabalho realizado, foram se abrindo caminhos que resultaram nos dados sobre as origens da família Halerz e que veio contribuir em muito na estruturação da Arvore Genealógica da Família de Andrzey Halerz e Antônia Biernaski e seus descendentes.

 

   História Oral 

         A pesquisa que se apresenta descrita na sequencia, além de se fundamentar  no  conhecimento obtido mediante as pesquisas realizadas, tambem se baseia em fotografias, algumas partes foram retiradas de documentos da Emigração de Andrzey Halerz e Antônia Biernaski, seus  filhos e demais parentes que vieram da Polônia em 1885, porém as demais informações se baseiam na História Oral de meus pais.

         Portanto, a maior parte da história da família foi construída com base nas narrativas dos meus pais Luiz Ales e Sofia Kula da 3ª geração,  onde eu juntamente com os meus irmãos Maria, Moisés e Matilde, vivemos e compartilhamos as lembranças da vida dos imigrantes poloneses e seus descendentes, parentes e outros, dos quais fazemos  parte como 4ª geração. A convivência com os meus pais desde a infância, se realizou mediante muito diálogo e reflexão, observação e questionamentos sobre a imigração, os imigrantes, seus descendentes, sua vida nas colônias, na escola, na igreja e nas demais instancias da vida, e que proporcionou a história contada em suas narrativas aos pedaços, desde a Polônia até as Colônias e os seus desdobramentos, onde foi tudo registrado e depois compilado para construção histórica, a qual não se esgota nesta página.

 

 1.  Imigração da Familia  Andrzey Halerz e Antônia Biernaski da Polônia para o Brasil 

 

      A emigração das Famílias Halerz, Biernaski e Belinoski se realizou entre maio e junho de 1885, da localidade de Swiencany, próximo a Jaslo, na região da Galícia, na Polônia- Europa, encontrado em http://www.arquivohistoricojoinville.com.br/ListaImigrantes/lista/tudo.htm - Lista  nº 78. Acesso em 17/12/2015.

       Andrzey Halerz de 40 anos, operário, com sua mulher Antônia Biernaski, de 35 anos e os filhos Aniela (8), Josef (6), Pawel (4 ¼ ), Juliana (2), Apolônia (3 meses), católicos, moravam na localidade de Swiencany, próximo a Jaslo, na região da Galícia, na Polônia- Europa e emigraram para o Brasil. Para embarcar viajaram de trem para Hamburgo, Alemanha, cidade situada ao longo do Rio Elba. Suas passagens foram expedidas pela empresa Hamburg-Südamerikanische Dampfschifffahrts-Gesellschaft, na Alemanha.

          Em de 19/05/1885 saíram da Europa pelo porto de Hamburgo e viajaram de Navio Alemão – Vapor Valparaiso, sob o comando do Capitão, J.G.Von Holten. Depois de viajar um mês, no dia 17/06/1885 chegaram em São Francisco, Santa Catarina. Receberam visto no Consulado Geral do Brasil, pelo Cônsul Geral Visconde de Paraguassú. Receberam a subvenção do Governo e foram direcionados para a Colônia São Bento do Sul, em Santa Catarina e lá permaneceram por dois anos e depois se deslocaram para o Paraná.

 

          Com a família de Andrzey Halerz e Antônia Biernaski, vieram outras 04 famílias polonesas da mesma localidade:

        - Woiczek Belinoski (36), sua mulher Justina (30), e os 3 filhos;

        - Pedro Biernacki (32) e sua mulher Maria (20), filho Antônio (3 meses) - (As famílias Biernaski eram irmãos da Antônia Biernaski (Bisavó);

        - Paulo Bernacki (28), solteiro;

        - Marianna Biernacki (20), casada. Todos viajaram na 3ª classe do Navio Vapor Valparaiso e receberam a subvenção do Governo brasileiro para se instalar na

         Colônia de São Bento, conforme a lista do Navio e Lista de Entrada, porém não consta lista de Bagagem (J L).

      

OBS: Pedro e Maria Biernacki (Irmão da Bisavó,,é Bisavô do Bispo D. Ladislau Biernaski e do Pe. Lourenço Biernaski).

  1.1  Imigração, vida e trabalho na Colônia Dom Pedro/Colônia Rodrigues   

 

        Andrzey Halerz e Antônia Biernaski ao se instalarem na Colônia São Bento do Sul, em Santa Catarina, tiveram dificuldade de adaptação, e, dois anos depois se deslocaram para o Paraná e se instalaram na Colônia Dom Pedro II, próximo a Campo Magro, estabelecendo-se nas terras adquiridas do Governo do Paraná por contrato e pagamento. Viveram nestas terras por vários anos, desenvolviam uma agricultura de subsistência e tinham como vizinhos José Mierzva,  Estanislau Wosniak e algumas famílias de caboclos. Depois de alguns anos compraram terras na Colônia Botiatuva, atual Colônia Rodrigues, que pertencia à Paróquia da Colônia Orleans. Que depois de 1975 passou para a Paróquia da Colônia Dom Pedro II.

       A Colônia Rodrigues era uma Fazenda que pertencia ao Antônio Lins Rodrigues da Sesmaria de São Vicente e fazia divisa com o atual Município de Campo Largo. Encontraram antigos moradores na Colônia Butiatuva/Rodrigues como os Haliboski, (atual chácara da família de Roberto Biernaski), Burnat, Cetnar ( terras próximas à família Teixeira), de Leon Grochocki e Jacob Kmiecik (atual terra de Eduardo Rugiski), Jose Sondecki (hoje terra da Família Stella), Miguel Filus (terras da Família Homan), José Filipaki (terra adquirida por João Lipinski (veio da Polônia), Francisco Pavelec, João Barwik (atual terra de Tadeu Laliko).

        No decorrer dos anos conseguiram comprar mais terras e no final tinham adquirido em torno de 30 alqueires de terra, na qual se estabeleceram com seus filhos. Como atividades faziam o extrativismo da erva mate e da madeira (nobre), desenvolviam a agricultura de subsistência, plantavam centeio, trigo, batata doce, batata, repolho, hortaliças, faziam comércio da produção agrícola, lenha, derivados de leite e ovos, criavam pequenos animais domésticos para o consumo. A principio moíam os grãos na pedra mó (zarna) e depois de 1920, o filho (Francisco Halerz e filhos) construiu um moinho movido à água, para moer grãos de centeio, trigo e milho.

 

   1.2  Família, Religião e Educação  

- Família :

     Andrzey Halerz e Antônia Biernaski tiveram 09 filhos: Para o Brasil/Paraná vieram com 04 filhos, Aniela (8 anos), Josef (6 anos), Pawel (4 ¼ anos), Juliana (2 anos), Apolônia (3 meses). E no Brasil nasceram os outros 4  filhos: João, Miguel, Francisco e Maria.

Depois de sair da Colonia Dom Pedro II, instalaram-se na Colônia Botiatuva/Colonia Rodrigues, onde foi a 2ª  moradia de Andrzey e Antônia Halerz. Depois que os filhos se casaram, as terras foram divididas e passadas em herança. Os filhos Aniela, José, Paulo, Francisco e João permaneceram morando nas terras próximo da família, Miguel foi para Rio Azul. Apolônia e Maria se  casaram e mudaram para a Colônia Tomás Coelho.

         Uma parte das terras de Andrzey e Antônia foi herdada pelo filho, João Halerz casado com Aghata Haiduk, depois essas terras foram herdadas pelo neto Luiz Ales (Halerz) casado com Sofia Kula. Atualmente seu bisneto (4ª geração), Moisés Ales, casado com Terezinha Swartz e família permanece morando nessas terras de imigrantes poloneses.

 

  - Religião: 

       De acordo com Luiz Ales (Halerz) (1997), tanto os avós como os tios avós todos eram católicos praticantes. Vieram com essa religião da Polônia. Esses imigrantes faziam a prática da sua fé diante da Cruz, existente nesta Colônia construída em 1890, local onde as famílias se reuniam para a reza do terço, cantos poloneses e novenas de pedido e agradecimento do bom tempo para a plantação e colheitas da produção. Desta forma ocorriam os encontros das famílias e a socialização com a comunidade.

        Como católicos, frequentavam a Igreja de Santo Antônio da Colônia Orleans e aos domingos iam assistir a missa e outras atividades religiosas. Portanto do local de sua 1ª moradia, se deslocavam 12 km à pé ou de carroça para a Igreja, onde a missa era rezada em latim. Na igreja os homens e meninos  ficavam separados das mulheres nos bancos. Enquanto assistiam a missa aproveitavam o tempo e rezavam o terço em silencio, porém ouviam a homilia/sermão do Padre que se relacionava às Leituras Sagradas e as questões sociais e morais da comunidade, cuja orientação servia para as reflexões semanais para a vida em família.

        Depois da missa as pessoas se encontravam e conversavam sobre os acontecimentos da época no Brasil, nas Colônias locais, as ocorrências da Polônia e de seus familiares, recebiam e mandavam cartas. A Igreja neste caso prestava um bom serviço na comunicação dos imigrantes entre a Polônia e as Colônias no Paraná. Depois as pessoas sentavam em suas carroças, chegavam às vendas (botecos) para beber uns tragos de wodka com os amigos, enquanto as mulheres e crianças ficavam sentadas na carroça. De vez em quando algum pai se compadecia e trazia bebida gasosa, biscoitos e doces para degustar. Esses encontros não raras vezes resultavam em discussões e brigas, pelas discussões de terras e divisas. Desencadeava desentendimentos e conflitos.

       Na Igreja participavam de outros Sacramentos, como Batizados, Crisma, Casamentos, bem como de funerais. Seguiam os costumes e tradições que trouxeram da Polônia.

 

 -  Educação:

       Conforme Luiz Ales (Halerz) (1997), em suas recordações falava que, ele e os irmãos, primos e demais filhos de imigrantes frequentavam a Escola de Santo Antônio da Colônia Orleans que ficava á 8 km de distancia do local da sua 2ª moradia, na Colônia Botiatuva, (atual Colônia Rodrigues), que pertencia à Paróquia da Colônia Orleans.

       As crianças iam a pé para a escola e descalços. As aulas a princípio eram ministradas pelos Padres poloneses, depois pelos professores designados pelo Governo. Havia muito conflito entre esses professores e o Padre local, pelo tratamento indigno e ríspido aos filhos de imigrantes, que eram tratados como marginais. Houve melhorias a partir de 1904, quando as Irmãs Vicentinas da Sagrada Família, vieram da  Polônia, a pedido dos imigrantes poloneses. Essas Irmãs dedicavam o trabalho aos filhos de imigrantes, na educação, catequese, orientação e atendimento aos pais imigrantes nas diversas necessidades, doenças e parto.

       Na escola as aulas eram ministradas em polonês pela manhã e à tarde em português. Na escola as crianças tinham atividade de trabalhos manuais e boas maneiras, aprendiam bordar, fazer rendas nas toalhas e flores de papel. Os meninos aprendiam fazer cestas, e a música de violino era ensinada pelos pais, ou tios em casa. Às sextas feiras as crianças tinham aula de catecismo em polonês com o Padre da Igreja local. Havia alta evasão escolar, pois os filhos tinham dificuldades de entender a língua portuguesa e também precisavam ajudar os pais a cuidar dos irmãos, ajudar no trabalho de casa e ajudar no serviço na lavoura, portanto os pedidos de dispensa dos filhos da escola eram constantes.

 

 

  2. Composição da Árvore Genealógica - Andrzey Halerz e Antônia Biernaski

Família na Foto: Da direita em pé: Francisco Halerz e Marta Haiduk ; Miguel Halerz e Valéria Valenga e Aniela Halerz
Sentados da direita:  Filomena e seu pai, Paulo Halerz; Imigrantes Andrzey Halerz e Antonia Biernaski (1885) ; José Bora e Juliana Halerz; João Halerz e Aghata Haiduk e sua filha Valéria.
Arvore Geenalógica

  DESCRIÇÃO DA ARVORE GENEALÓGICA 

 

Andrzey Halerz e Antonia Biernaski e seus 09 filhos

 

1- Aniela Halerz casou-se com Vicente Burnat   

Aniela nasceu  na localidade de Swiencany em 1878, próximo a Jaslo e Gorlice, na região da Galícia, na Polônia- Europa. Emigrou ao Brasil ,São Bento do Sul, em Santa Catarina no dia 17/06/1885 em 1885, com seus pais com 7 anos. Residiam nas terras em Colônia Rodrigues e depois que casou, mudaram para Colônia Dom Pedro II, pertenciam a paróquia de Orleans. Trabalhavam com agricultura. Faleceram jovens por problemas de saúde (alcoolismo). A filha mais velha estava com 12 anos e assumiu a responsabilidade de criar os demais irmãos. Tiveram 10 filhos.

 

FILHOS:

1. Verônica Burnat – Solteira
2. Luíz Burnat – Solteiro
3. José Burnat – Solteiro
4. Balbina Burnat – Solteira
5. Maria Burnat – Solteira
6. Helina Burnat – Solteira
7  E ......outros ?
8
9
10
 

2 - José Halerz casou-se com Verônica Gorski

José nasceu na localidade de Swiencany, em 1879, próximo a Jaslo, na região da Galícia, na Polônia- Europa. Emigrou ao Brasil com seus pais aos 6 anos para  a Colônia São Bento do Sul, em Santa Catarina no dia 17/06/1885. Dois anos depois veio com os pais ao Paraná/Colônia Dom Pedro II e foi vizinho de Pedro Biernaski, bisavô de Angelina Biernaski e depois mudaram para Butiatuva, atual Colônia Rodrigues/Campo Magro. Foi casado com Verônica Gorski – pertencia a Paróquia de Nova Orleans. Eram católicos, agricultores e ele foi ferreiro. Tinham 04 filhos: Maria, Francisco, João e Estanislau.

 

FILHOS:

1 - Maria casada com José Muchenski

= > Filhos: Estanislau, Lídia,  Aloize e Justina, .

 

2 - Francisco casado com Helena Biernaski

=> Filhos: Emília, Estanislau, Vanda, Celestina, Maria, Hermínia e Irene.

 

3 -João Halerz com Josefina Filus

 => Filhos: Verônica- Irmã Religiosa - Congregação da Sagrada Família

 

4-Estanislau  – Solteiro.

 

 

 

3 - Paulo Halerz casou-se com Ana Sikora

Paulo nasceu  na localidade de Swiencany, em 1881, próximo a Jaslo, na região da Galícia, na Polônia- Europa. Veio para o Brasil/Colônia São Bento do Sul, em Santa Catarina no dia 17/06/1885 com 4 anos. Dois anos depois veio com os pais ao Paraná/Colônia Dom Pedro II e morou e foi  vizinho de Pedro Biernaski, bisavô de Angelina Biernaski e depois mudaram para Butiatuva, atual Colônia Rodrigues/Campo Magro. Casou-se  com Ana Sikora  e residiam na região da Colônia Dom Pedro II – atual chácara de seu neto Antônio Hales,  próximo a Cruz Centenária – Na época pertenciam à paróquia de Nova Orleans, pois depois de 1975 passou para Paróquia Dom Pedro II – Trabalhavam com agricultura, criavam pequenos animais e revendiam a produção agrícola.

Tinham 05 filhos: Luíz, José, João, Rosa e Filomena.

 

FILHOS

1 -Luiz casado com Josefina Debax

=>Filhos: Feliciano, Isidoro, Aleixo, Rosa, Lúcio, Antônio, Augusto, Lídia e Celestina.

 

2 -José  casado com Valeria Lalico

=> Filhos: Aloize, Miguel, Lúcia e João.

 

3 -João casado com Paulina Patek

=> Filhos: Leonora, Feliciano,Bernadina  e  Josefina

 

4 -Rosa casada com Vadeco Haiduk

=> Filhos: Tereza, Antônio, Augusto,Aleixo, Luíz, Pedro, Miguel, Emília. 

 

5 -Filomena casada com Francisco Patek

 => Filhos: Bronislava, João, Iolanda, Lídia, Silvestre, Emilio, Aleixo  e Maria.

 

 

 

4 - Julia Halerz casou-se com José Bora

Júlia nasceu na localidade de Swiencany, próximo a Jaslo, na região da Galícia, na Polônia- Europa. Veio ao Brasil com 2 anos de idade. Casou-se  com José Bora residiam nas terras em Colônia Butiatuva /Rodrigues, pertenciam à Paróquia de Orleans. Eram católicos,  trabalhavam com a agricultura. Tiveram XX filhos:

 

FILHOS:

A relacionar ....

 

 

 

5 - Apolônia Halerz casou-se com Jacob Kmiecik

Apolônia nasceu na localidade de Swiencany, em 1885, próximo a Jaslo, na região da Galícia, na Polônia- Europa. Veio ao Brasil, São Bento do Sul, em Santa Catarina no dia 17/06/1885, com seus pais aos 3 meses de idade. Foi casada com Jacob Kmiecik e residiam nas terras em Colônia Butiatuva /Rodrigues - Município de Almirante Tamandaré, hoje Campo Magro, na divisa de Santa Felicidade. Pertenciam à paróquia de Orleans na localidade onde hoje se encontram as terras da família de José Halerz. Moravam em uma Casa de Troncos (1878), ainda preservada nesta localidade. Trabalhavam com agricultura e depois mudaram para a cidade de Castro, Região de Marmeleiro. Estabeleceram-se na Paróquia de São Sebastião. Continuaram com o trabalho na agricultura e criação de pequenos animais e gado. 

Tinham 05 filhos: Luíz, João, Francisco, Rosa e Maria.

 

FILHOS:

Luíz Kmiecik casou-se com Helena

=> Filhos:

 

João Kmiecik casou-se com Otília Mokffianski

=> Filhos: Vicente, (Irene), Afonso, (Ana), Edmundo, Antônio, Eva, Floriano e Lídia.

                                                                            

Francisco Kmiecik  casou-se com Maria

=> Filhos:

 

Rosa Kmiecik casou-se com Zeferino Gomes (ficou viuva) 2ª vez casou-se com Adão Molek

=>1  Filhos:

=>2  Filhos:

 

Maria Kmiecik

=> Filhos: ??   Foi morar para São Paulo. A família perdeu contato

 

 

6 - João Halerz casou-se com Aghata Haiduk

João nasceu em 15/01/1887 e casou-se com Aghata Haiduk. Morava com seus pais na Colônia Dom Pedro II e foi vizinho de Pedro Biernaski, bisavô de Angelina Biernaski. Depois mudaram para Butiatuva, atual Colônia Rodrigues/Campo Magro. Depois de casados continuaram residindo nesta Colônia. Este local ficava no Município de Timoneira/Almirante Tamandaré, hoje é Município de Campo Magro e pertenciam à Paróquia de Orleans. Trabalhavam com a agricultura, criavam pequenos animais e revendiam a produção agrícola. João tocava violino e a Aghata era uma dona de casa muito zelosa. Tinham 08 Filhos: Leonardo, Balbina, Francisco, André, Ana, Joana, Luíz e Valéria. 

 

FILHOS :

1- Leonardo Halerz casado com Verônica Biernaski

=> Filhos: Maria, Antônio, Natalia, João e Vicente.

 

2 - Balbina Halerz casada com Aloize Filus

 => Filhos: Lídia, Ana, João, Geraldo e Luiz.

 

3 - Francisco Halerz casado com Lídia Mazur

=>  Filhos: Terezinha, Iolanda e Vicente.

 

4 - André Halerz casado com Nilde Camparim

=>  Filhos: Joel e Vanir.

 

5 - Ana Halerz casada com Henrique Kossoski

=> Filhos: João, Regina, Ricardo e Roque.

 

6 - Joana Halerz casada com Pedro Machniewicz

=>  Filhos: Genésio, Lídia, Regina, Sergio, Eulália e Márcia.

 

7- Luiz Halerz casado com  Zofia Kula

 = > Filhos: Maria, Felícia, Moises, Mafalda e Matilde.

 

8 -  Valéria Halerz casada com Simão Kossoski

 => Filhos: Amélia, Maria, Tadeu, Urbano, Vanda, Edmundo e Olívia.

 

 

7 - Miguel Halerz casou-se com Valéria Valenga

Miguel casou-se com Valéria Valenga. Morava com seus pais na Colônia Dom Pedro II e foi vizinho de Pedro Biernaski, bisavô de Angelina Biernaski. Depois mudaram para Butiatuva, atual Colônia Rodrigues/Campo Magro. Eram católicos e pertenciam à Paróquia de Orleans. Casou-se com Valéria Valenga e foram morar para a localidade de Rio Azul próximo a Irati – Pr. Trabalhavam com agricultura, criavam pequenos animais e revendiam a produção agrícola. Tiveram  06  Filhos:

 

  FILHOS:

1- Antonio Ales casou-se com Ana Leschnioski

=> Filhos: Pedro, Tadeu, Miguel, Irene, Filomena e (Aloize)

 

2- Monica Ales casou-se com XX

=> Filhos:

 

3- Lídia Ales - Irmã Religiosa - Congregação da Sagrada Familia

 

4- Maria  Ales - Irmã Religiosa - Congregação da Sagrada Familia

 

5- Antonina Ales casou-se com XX Gaioswski

=> Filhos:

 

6- Genovefa Ales casou-se com XX

=> Filhos:

 

 

 

8 - Francisco Halerz casou-se com Marta Haiduk.

Francisco casou-se com Marta Haiduk. Residiam nas terras em Colônia Butiatuva/Colônia Rodrigues. Este local ficava no Município de Timoneira/Almirante Tamandaré e hoje é Município de Campo Magro, divisa de Santa Felicidade, pertencia à Paróquia de Orleans.  Eram católicos e trabalhavam na agricultura, criavam pequenos animais e possuíam um moinho de moagem de farinha de centeio, trigo e milho.
Tiveram 10 filhos: Ana, Zofia, Longuina, Edwiges, Apolônia, Vadislau, Pedro, Leonora, Lídia e Antônio.

 

FILHOS:

1 - Ana Halerz casou-se com Antonio Tokarski

=> Filhos: Otília, Augusto, Pedro, Afonso, Bernadete, Maria, João e Isidório.

 

2 - Zofia Halerz casou-se com Francisco Vicki.

 => Filhos:Não tiveram filhos

 

3 - Longuina Halerz casou-se com Floriano Kliciewiz

=>Filhos: Lúcio e Maurício.

 

4 - Edviges Halerz casou-se com Afonso Lipinski

=> Filhos: Mario, Lurdes, Marli e João.

 

5 - Apolônia Halerz casou-se com Francisco Karachenski

=> Filhos: Maria, Luiz, Lídia, Roberto e Antônio.

 

6 - Vadislau Halerz casou-se com Lídia Botega

 => Filhos:Elizeu, Eloir, Claudio, Valdir, Edilson, Mirian e Marta.

 

7 - Pedro casou-se com Rosa Zanzovo

=> Filhos: Hilário, Elizabete, Marilene, Mariza e Margarete.

 

8 - Eleonora Halerz casou-se com João Firstz

 => Filhos:Tarcísio, Celina, Inês , Marcos ....XX,XX

 

9 - Lídia Halerz casou-se com João Mika

 => Filhos: Filhos:Osni, Celina, Osvaldo, Lurdes, Ambrósio e Carmem.

 

10 - Antonio Halerz casou-se com Magdalena Nalepa

=> Filhos: Sergio, Célia, Rogério, Eliane e Marli

 
 
9 - Maria Halerz casou com José Vontroba

Maria casou-se com José Vontroba. Residiam na Colônia Butiatuva/Colônia Rodrigues e pertenciam a Paróquia de Orleans. Depois mudaram para a Colônia Tomas Coelho. Eram católicos, trabalhavam com agricultura e criavam pequenos animais. Tinham XX Filhos:

 

FILHOS:

A relacionar

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Arvore Genealógica
Família de João Halerz (Ales) e Aghata Haiduk
João Halerz (6º Filho de Andrzey Halerz e Antonia Biernaski/1885/ Polonia) casou-se com  Aghata Haiduk. Residiam na Colônia Bituatuva, atual Colônia Rodrigues, na Paróquia da Colônia Orleans. Tiveram 08 Filhos: Leonardo, Balbina, Francisco, André, Ana, Joana, Luíz e Valéria.
FOTO 3

Filhos e Netos de João Halerz e Aghata Haiduk 

 

1- Filho: Leonardo Halerz casado com Verônica Biernaski   => Netos: Maria, Antônio, Natália, João e Vicente.

 

2 - Filha: Balbina Halerz casada com Aloize Filus   => Netos: Lídia, Ana, João, Geraldo e Luiz.

 

3 - Filho: Francisco Halerz casado com Lídia Mazur   =>  Netos: Terezinha, Iolanda e Vicente.

 

4 - Filha: Ana Halerz casada com Henrique Kossoski  => Netos: João, Regina, Ricardo e Roque.

5- Filho: André Halerz casado com Nilde Camparim  =>  Netos: Joel e Vanir.

 

6 - Filha: Joana Halerz casada com Pedro Machniewicz  =>  Netos: Genésio, Lídia, Regina, Sergio, Eulália e Márcia.

 

7- Filho: Luiz Halerz casado com  Zofia Kula   = > Netos: Maria, Felícia, Moises, Mafalda e Matilde.

 

8 - Filha: Valéria Halerz casada com Simão Kossoski  =>  Netos: Amélia, Maria, Tadeu, Urbano, Vanda, Edmundo e Olívia.

Família: Luíz Ales - Zofia Kula e os Filhos
A Família compõe-se de  4 filhos - 12 Netos  - 12 Bisnetos 
Filhos, Netos e bisnetos :
Maria e Silvestro Rugiski - Netos: 1. Edgar Moisés com Ana Tibes; 2. Edivino Edson,  3. Ericson com Franciele Santos. 
Bisnetos 1.1 Luíz Felipe e Anna Luíza - 2.1 Nicole, 3.1 Giovani, Juliene e Victória 
Moises e Terezinha Swuartz - Netos:  1. Weligton, 2. Vanessa Terezinha , 3.Wiliam Moises.
Mafalda  e Afonso Sikora - Netos: 1. Anderson Affonso com Thatyeli Peron, 2.Adhaury Affonso com Simone L.Wernik,3. Andrew Affonso com Juliana Polakoski.
Bisnetos: 1.1 Lucas, 1.2 Thiago - 2.1 Lara, 2.2 Henry (Gemeos)
Matilde  e Tadeu Krupa -Netos: 1. Christian Tadeu com Juiana Sobota,  2. Crislene com Clodoaldo Santos, 3.Cleiton Luiz com Vania Surek. 
Bisnetos: 1.1Gabriela, 2.1 Luana, 2.2 .

© 2015 por Culturarte.polonesa. Orgulhosamente criado com Wix.com